17 de junho de 2024

Palmeiras investe R$ 30 mi anuais e vê base invadir 1ª prateleira europeia.

 Palmeiras investe R$ 30 mi anuais e vê base invadir 1ª prateleira europeia.
Compartilhe

João Paulo Sampaio, coordenador geral de base do Palmeiras, com as Crias da Academia que participaram da campanha do título brasileiro Imagem: Cesar Greco/Palmeiras.

O Palmeiras está próximo de vender Estêvão ao Chelsea em um negócio que pode atingir até 65 milhões de euros (R$ 363 milhões, na cotação atual). O valor que joia palmeirense deve atingir simboliza a nova era da base alviverde, que cada vez mais exporta atletas para as principais ligas europeias.
Evolução desde 2015

Tudo começou em 2015, com a chegada de João Paulo Sampaio à Academia de Futebol. Ele foi escolhido como o novo coordenador da base palmeirense por Paulo Nobre e Alexandre Mattos para a reformulação das categorias de base palmeirense A missão era melhorar a estrutura e aumentar a grande rede de captação de talentos.

Em um primeiro momento, as crias da Academia de Futebol serviram para a manutenção do investimento no time profissional. Eram comuns negócios com equipes de menor prestígio em Portugal ou mercados alternativos, como Ucrânia e Japão. Isso mudou com a chegada de Anderson Barros, e os jovens passaram a colaborar com rendimento esportivo: atualmente, um terço do elenco principal do Palmeiras é cria da base.

A venda que “inaugurou” essa nova era da base palmeirense aconteceu em 2016, quando o clube negociou Gabriel Jesus com o Manchester City por R$ 121 milhões — o Alviverde ficou com R$ 70 milhões e passou outra impressão sobre seu trabalho na base. Antes, a última exportação para a Premier League havia acontecido em 2008, quando o clube vendeu Diego Cavalieri para o Liverpool por R$ 9,5 milhões.

Depois, o meio-campista Danilo chamou a atenção do Nottingham Forest, que pagou R$ 110 milhões pelo jogador. Tudo indica que Estêvão é o próximo que deve desembarcar na Inglaterra quando completar seus 18 anos.

A cereja do bolo foi a venda de Endrick para o Real Madrid. O clube merengue pagou 35 milhões de euros fixos (R$ 198 milhões na cotação da época), além de 25 milhões de euros (R$ 141 milhões) em bônus para fechar a aquisição do atleta em 2022. Ele completará a transferência no meio do ano, após completar a maioridade.

Na era JP Sampaio, o Palmeiras já arrecadou mais de R$ 1,1 bilhão em vendas de atletas formados na base.

Europa mantém contato constante com o Palmeiras

O Palmeiras estima que gasta cerca de R$ 30 milhões anuais com as categorias de base. Valor que se paga toda temporada com a venda de jogadores formados na Academia de Futebol.